quarta-feira, 16 de junho de 2010

Lula vai demitir servidores aprovados em concursos fraudados da PF, Receita e OAB

Os funcionários públicos federais admitidos por concursos públicos fraudados serão demitidos, informou hoje (16) o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Os seis primeiros foram identificados na operação da PF que investiga fraudes nos concursos e  como são feitas. Doze pessoas foram presas hoje na Operação Tormenta. Segundo a PF, clientes pagavam até US$ 150 mil (R$ 270 mil) por resultado de prova. Entre os presos, há um policial rodoviário federal de São Paulo.

Segundo a PF, fraudes aconteceram em concursos da Polícia Federal, da Receita Federal e da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Os três somaram mais de 130 mil inscritos na época, segundo as instituições responsáveis pela aplicação das três provas. Paulo Bernardo foi procurado hoje pelo diretor-geral da PF (Polícia Federal), Luiz Fernando Corrêa, para relato das irregularidades identificadas nas investigações e informes sobre a operação que está sendo feita.

Pelas investigações, candidatos usaram aparelhos eletrônicos monitorados de fora do local onde faziam as provas, para obter as respostas das questões. E mesmo no curso de formação, existia assessoria externa, com pessoas passando informações. Quanto às admissões com liminares, o ministro afirmou que a Justiça tem que rever os processos para evitar que um fraudador entre para a máquina pública.

As investigações apontam que as provas mais caras eram para o concurso de auditores fiscais. Seguidas pelas provas para delegado federal (R$ 178 mil), agentes da PF (R$ 79 mil) e da OAB (R$ 50 mil). Para as pessoas que não possuíam os diplomas exigidos pelos concursos, a quadrilha providenciava o documento pelo valor de R$ 30 mil.

Concursos da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) e da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) também estão sendo investigados. Além disso, a PF aponta que o grupo tentou, sem sucesso, fraudar provas da Caixa Econômica Federal, da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), do INSS, da AGU (Advocacia Geral da União), da Santa Casa de Santos, de Defensor Público da União e da Faculdade de Medicina de Ouro Preto.

Dos três concursos fraudados o que mais possuía inscritos era o da Polícia Federal, em 2009, com mais de 63,2 mil candidatos, seguido pelo concurso da Receita Federal, de 1994, com 48.311; e da segunda fase da OAB, também de 2009, que teve 18,7 mil inscritos. (C/ Folha on line)

Um comentário:

  1. José Alfredo Junqueira1 de agosto de 2010 12:36

    Cara Maura,sabemos que fraudes em cc no Brsil é prática frequente e antiga,mas,como muitas autoridades tem rabo presonunca dá em nada,e continua-se esta pra´tica.Lembra-se quando R.Jeferson disparou a metalhadora giratória?Pois é,entre as denúncias estava a de que o cespe da Unb,facilitava entrada no serviço público de parentes e apadrinhados de políticos.É verdade,conheço vários.Mas,e esta denúncia?Apareceu discretamente,em artigos pequenos e escondidos em meio a alguns jornais e...sumiu.Claro,é muita,muita gente envolvida.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem vindo! Deixe aqui seu comentário, e não esqueça de se identificar clicando em "Comentar como", e escolhendo a guia "Nome/URL". Grande abraço!