sábado, 24 de abril de 2010

FMI recomenda ao Brasil que aprenda a lidar "com dificuldades do sucesso"

Embora os sinais de recuperação da economia sejam animadores, ainda "subsistem muitos desafios" que devem ser enfrentados coletivamente, declarou este sábado (24), em Washington, o comitê diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Além disso, o Fundo recomendou aos países da América Latina, que superaram bem a crise, a implementação de medidas para lidar com a situação favorável, evitando os altos e baixos do passado. Para o FMI, o Brasil é o exemplo perfeito do país "que terá que saber lidar com as dificuldades associadas ao sucesso e a ser considerada uma economia promissora".

Os 186 membros do FMI reiteraram, este sábado, o compromisso com "níveis sustentáveis" da dívida pública, em um momento em que a crise grega força a mobilização de recursos da União Europeia e do próprio Fundo. "Os sinais de uma recuperação econômica são animadoras, mas subsistem muitos desafios que devem ser enfrentados coletivamente", explicou em um comunicado. "Estamos muito comprometidos em manter finanças públicas e riscos da dívida sustentáveis".

"Fortalecer a regulamentação financeira, sua supervisão e sua resistência continua sendo uma tarefa crítica, mas incompleta", advertiram.  O Fundo e seus membros continuarão debatendo as opções para que "o setor financeiro possa realizar uma contribuição justa e substancial para compensar o extraordinário apoio governamental" durante a crise financeira passada, destacou o texto acertado após reunião, realizada durante a plenária semestral do FMI. Estas opções deverão respeitar "as circunstâncias de cada país", acertaram os membros do Fundo.

As negociações internas para reformar as cotas de poder e o funcionamento do Fundo continuarão e deverão estar prontas em janeiro 2011, acrescentou o comitê financeiro e econômico do Fundo em seu texto. (Com Folha on line)

"Meu doce mafioso": Al Pacino completa 70 anos, neste domingo


São mais de quatro décadas dedicadas ao cinema, faz tempo que apresentou os primeiros cabelos brancos e está em idade de ser jubilado, mas não há quem pare Al Pacino.

O mafioso de Hollywood, que neste domingo faz 70 anos, volta aos casos criminais. No thriller "Son of No One" ele dá vida a um detetive em um bairro de operários. Channing Tatum, que encarna um jovem policial, Ray Liotta e Katie Holmes participam também da fita que começa a ser rodada em Nova York.

Justamente no fim de semana do seu aniversário, a estrela de voz rouca e inconfundível celebra outra estreia. O canal norte-americano HBO apresenta o drama "You Don't Know Jack". Dirigido por Barry Levinson, Al Pacino interpretou o polêmico médico defensor da eutanásia Jack Kevorkian. Conhecido como "doutor morte", saiu do cárcere em 2007 após passar oito anos na prisão. Kevorkian confessou que entre 1990 e 1998 ajudou a morrerem ao menos 130 pessoas com enfermidades incuráveis.

E dentro de pouco tempo Al Pacino se meterá também na pele de Salvador Dalí. Obteve faz muito tempo o papel do pintor surrealista espanhol na cinebiografia "Dalí & I: The Surreal Story", de Andrew Niccol.

O "nanico Pacino" como o chamavam os produtores de "O Poderoso Chefão", não teve um começo de vida fácil em Hollywood. Entretanto, há 30 anos o diretor Francis Ford Coppola preferiu o ítalo-estadunidense Alfredo James Pacino, de 1,68 metros, e filho de uma família siciliana, em lugar de Robert Redford, Warren Beatty, Jack Nicholson ou Robert De Niro.

Seu papel como filho do "padrinho" Don Corleone o fez famoso em todo o mundo. Na trilogía mafiosa (1972-1990), o ator transforma-se de obediente estudante na fría cabeça do clã familiar.

Al Pacino recorda que aos cinco anos sua mãe o levava ao cinema, o que despertou precocemente o seu amor pelos filmes. Teve uma infância difícil no bairro nova- iorquino do Bronx, onde cresceu com os avós.

Por falta de êxito, o adolescente foi expulso da escola de artes de Manhattan, mas logo tomou aulas com Charles Laughton e o legendário professor Lee Strasberg. Quando saía dos 20 anos, conquistou o primeiro dos prêmios "Tony" em Nova York. Em longa- metragem chamou a atenção pela primeira vez em 1970 como um neurótico traficante em "Pânico em Needle Park".

Após sua interpretação de Michael Corleone, pela qual obteve a primeira de oito indicações ao Oscar em 1972, Hollywood passou a disputar Al Pacino nos papéis de mafioso, policíal ou criminoso. Em "Serpico" (1972) interpreta um policial quebrado, em "Um dia de Cão" (1975) um sequestrador, em "Scarface" (1979) um grande criminoso.

Entretanto, seu sucesso foi interrompido em 1985 , após o fracasso da caríssima "Revolution", uma fita épica sobre a guerra da independência norte-americana. Passaram-se quatro anos antes de voltar a atuar em 'Sea Of Love'.


E, POR FIM, O OSCAR


Em 1992, passados 21 anos de sua primeira indicação ao Oscar e após seis intentos frustrados, Al Pacino conquistou a a estatueta por seu papel em "Perfume de Mulher", em que interpreta um cego, ex-oficial militar Frank Slade. Na fita de suspense "Heat" (1995), enfrenta em seu papel de policial frustrado um criminoso brutal interpretado por Robert de Niro. Há dois anos, ambos voltaram às telas com o thriller  "Righteous Kill', como velhos policiais. 

Também foi sucesso com "The Insider" e "Insônia". Recebeu aplausos da crítica e um Globo de Ouro com o filme para a televisão "Angels in America" sobre a epidemia de Aids nos anos 80. Em "Ocean's 13",  sobre a banda liderada pelo ladrão Danny Ocean, aliás George Clooney, Al Pacino convence com uma perigosa mescla de empresário e chefe mafioso.

Apesar do seu grande êxito no cinema, este fanático por Shakespeare sempre volta ao seu grande amor: o teatro. Com "Ricardo III- Um ensaio", o ator aprofundou em 1996 seu estudo de Shakespeare e debutou como diretor. A fita foi elogiada pela crítica como carinhosa homenagem a Shakespeare, que permite ver o trabalho dos atores e diretores de teatro. Em 2006, atuou em "Salomé", de Oscar Wilde, em Los Angeles. Antes brilhou em "Júlio César" de Shakespeare, "Aufstieg und Fall des Arturo Ui " de Brecht e "Édipo Rei " de Sófocles.

Na vida privada se esconde como eterno adolescente, o que lhe valeu o apelido de "versão masculina de Greta Garbo". Lutou muito pela tutela de Antonio e Olivia, nascidos em 2001, de sua longa união com Beverly D'Angelo. Pai de tres filhos, sem nunca ter se casado, também ocupou as páginas da imprensa por seu romance com sua co-protagonista Diane Keaton em "O Poderoso Chefão". (Com reportagem de El Mundo)

Ciro será "convidado" a deixar o país na terça-feira, pelo PSB

(Por Maura Fraga)

O portal Zero Hora, do Rio Grande do Sul,  informa na noite deste sábado (24) que a cúpula do PSB  aconselhou Ciro Gomes a se afastar do país a partir de terça-feira, caso sua candidatura venha a ruir. O autoexílio é uma tentativa de evitar que o deputado direcione sua revolta à campanha de Dilma Rousseff (PT) e às alianças da base governista nos Estados.

– Se ele ficar no país, vai cair atirando. Por isso, foi orientado a viajar e depois se dedicar à campanha de Cid Gomes (irmão do deputado) à reeleição no Ceará – já dizia um integrante da cúpula do PSB antes de o deputado lançar ataques na sexta-feira.

A Agência Estado complementa a informação ao revelar que Ciro, a partir de agora, vai cuidar dos filhos e da atual mulher e das campanhas políticas do irmão; da ex-mulher Patrícia Saboya, ao Senado, e do seu padrinho político, senador Tasso Jereissati (PSDB), todos em busca da reeleição. Segundo a AE, Ciro Gomes admite que fará campanha para Dilma,  mas de forma discreta.

A informação pode estar correta, mas é difícil de ser assimilada: Ciro não combina com discrição.  Além disso, há no Governo, segundo a própria AE, preocupação com esse mergulho dele nas eleições do Ceará, onde há 5 milhões de eleitores e risco de a candidata Dilma Rousseff,  lançada pelo Planalto, naufragar.

Os veículos admitem que por ter adquirido capital político ao assumir o papel de principal defensor de Lula no Escândalo do Mensalão, Ciro Gomes cairá atirando. A previsão parece estar certa, como demonstra reportagem do site Congresso em Foco que reproduz a mais recente entrevista do pré-candidato em meio ao tiroteio que enfrenta.

Noite de sexta-feira (23), ele afirmou que "a política brasileira não cultiva mais valores como a decência" em entrevista aos jornalistas Carlos Nascimento e Karyn Bravo, apresentadores do telejornal SBT Brasil. Em seguida, após avisar que vai espernear até terça-feira, foi no cerne do Mensalão, ao acusar o ex-ministro José Dirceu de tentar impedir sua candidatura.

"José Dirceu foi à casa do meu irmão no Ceará dizer que se eu fosse candidato à Presidência, o PT tirava o apoio a ele", contou Ciro, dando um exemplo das "ameaças" e pressões sofridas.

Ainda sobre José Dirceu, Ciro comentou que, embora fosse um "amigo" dele, era um "erro crasso" do PT e de Dilma tê-lo como coordenador de campanha. "José Dirceu no comando da campanha é um desacato ao Judiciário", disse Ciro.

Dirceu é réu no inquérito que apura o Mensalão e que tramita no Supremo Tribunal Federal.

Mais não precisa ser dito, acredita este Blog.

Relatório de Camata culpa Estado por destruição da sede da UNE e pede indenização de R$ 30 milhões

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou na última terça-feira (20) relatório do senador Gerson Camata (PMDB-ES) que reconhece a responsabilidade do Estado pela destruição da sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), no Rio de Janeiro, em 1964. A indenização, segundo o relatório, pode chegar a R$ 30 milhões.

Enquanto a verba não sai, a UNE continua sendo contemplada com recursos públicos federais. Nos últimos sete anos, período do governo Lula, o valor total repassado por ministérios e secretarias corresponde a menos da metade do valor indenizatório. Desde 2003, a UNE recebeu quase R$ 12,9 milhões, dez vezes mais que o montante repassado nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

Em 2008, o governo destinou quase R$ 4,5 milhões à UNE, maior cifra desde 1995. Desse valor, o Ministério da Saúde pagou 64% por projetos de apoio da educação permanente dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde. Mas foi o Ministério da Cultura que mais aplicou recursos na entidade. Nos últimos sete anos, a pasta foi responsável por 72% do valor total recebido pela UNE. Apenas no ano passado, o órgão destinou mais de R$ 2 milhões para apoiar projetos voltados à produção, divulgação e outras ações ligadas à atividades artísticas e culturais.

A  UNE também recebeu recursos do Ministério do Esporte. Enquanto ainda estava na função de secretário-executivo, o atual ministro Orlando Silva (PCdoB-SP), que foi presidente da UNE entre 1995 e 1997, assinou um convênio que repassou R$ 199,6 mil, em 2004, para financiar a realização dos 52º Jogos Universitários Brasileiros, em julho daquele ano. Já em 2009, sob a direção dos estudantes Lúcia Stumpf e Augusto Chagas, ambos filiados ao PCdoB, outros R$ 250 mil foram liberados pelo ministério para capacitar gestores de esporte e lazer.

PT lança Mercadante governador em São Paulo, sem presença de Lula

No evento de lançamento da pré-candidatura ao governo de São Paulo do senador Aloizio Mercadante, a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, afirmou neste sábado (24) que os paulistas “merecem mais” do que quase três décadas de domínio do mesmo grupo político no Palácio dos Bandeirantes. A ex-ministra também alfinetou o ex-governador e seu adversário na corrida presidencial, José Serra (PSDB), por não negociar com professores grevistas.

No mesmo encontro, ao qual o presidente Lula não esteve presente por “motivos pessoais”, foi definida a pré-candidatura ao Senado da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy. Em São Paulo, Mercadante aparece com 13% das intenções de voto contra o favorito Geraldo Alckmin, que tem 53% e venceria a disputa pela sucessão de Serra já no primeiro turno.

Um interlocutor do presidente disse que Lula não compareceu também porque se tratava de um encontro estadual voltado ao público interno. “Não foi por isso que ele não veio, foi por razões pessoais. Mas não podemos banalizar a figura do presidente”, afirmou.  Lula mandou uma carta a Mercadante e Marta na qual diz que será. " militante desta campanha que já começa vitoriosa.  Com portal UOL.

Obras da Copa no Brasil estão 2 anos atrasadas, protesta Fifa

As obras dos estádios no Brasil e a preparação em geral do País para a Copa de 2014 estão atrasadas em dois anos. Essa é a avaliação feita pela cúpula da Fifa segundo o jornal O Estado de S. Paulo neste sábado (24). A entidade vai pressionar as autoridades de forma mais contundente depois do Mundial da África do Sul, mas as cobranças já começaram.

Os dirigentes não entendem como o Brasil concorreu sozinho para organizar o evento, recebeu a concessão em 2007 e, até agora, as obras ainda estão em sua fase inicial ou nem isso. A publicação do edital de licitação das obras do Maracanã foi adiada e São Paulo não sabe onde mandará os jogos. No restante do País, obras estão praticamente paradas.

A Fifa insiste que o Brasil não tem quatro anos para se preparar, mas apenas três. Isso porque, em 2013, o País terá de usar a Copa das Confederações como espécie de ensaio geral para o Mundial, um ano depois.

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, confirmou que "nenhum estádio está hoje pronto no Brasil para o Mundial". Criticou algumas vezes o Morumbi e, agora, se mostra insatisfeito com o projeto de reforma do Maracanã, que terá de ser revisto. "Estamos de fato agora focados no Maracanã para ver como faremos."

A Fifa e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vão se reunir para rediscutir o caso. A CBF previa que o edital da concorrência seria lançado nesta semana. Mas, diante da insatisfação da Fifa com o projeto, os planos foram revistos e a data de publicação do edital foi adiada de forma indefinida.  (Com O Estado de S. Paulo)

Gasto do Governo Lula em publicidade sobe 48% em seis anos. No ano passado superou R$ 1 bilhão

(Por Rodrigo Rangel - O Estado de S. Paulo)
Brasília- A propaganda do governo Luiz Inácio Lula da Silva chegou, no ano passado, a 7.047 veículos de comunicação de todo o País. O número é 1.312% superior ao de 2003, primeiro ano do governo Lula, quando 499 veículos receberam verba para divulgar a publicidade oficial.

De 2003 a 2009, a Presidência da República, ministérios e estatais gastaram R$ 7,7 bilhões com propaganda. Os gastos do ano passado, de R$ 1,17 bilhão, superaram em 48% os R$ 796,2 milhões investidos no primeiro ano de governo.

O aumento expressivo do número de órgãos em que a publicidade oficial é veiculada se deve a uma mudança de estratégia da comunicação do Palácio do Planalto: desde que Lula chegou ao governo, a ordem é regionalizar a propaganda e diversificar as maneiras de fazer o marketing governamental chegar à população. Os veículos que divulgaram publicidade federal em 2009 estão espalhados por 2.184 municípios, contra 182 em 2003.

Valor triplicado. Só com a publicidade institucional da Presidência da República, destinada a difundir a marca e os feitos do governo, foram gastos R$ 124 milhões no ano passado.

O volume é três vezes superior ao de 2003, mas não acompanha, proporcionalmente, a ampliação do número de veículos escolhidos para divulgar a propaganda federal. Isso significa que veículos de comunicação de abrangência nacional tiveram de dividir a verba que recebiam antes com órgãos regionais - alguns deles de pequeno porte, o que inclui rádios e jornais de interior sob controle de políticos de partidos aliados.

Televisão, jornal, rádio e revistas, nesta ordem, foram os meios que mais receberam recursos em 2009. Para emissoras de TV, foram destinados R$ 759,5 milhões, 64% do total. Jornais receberam R$ 115,4 milhões e rádios, R$ 104 milhões.

A internet aparece em quarto lugar em valores absolutos, mas é o veículo que registrou o maior crescimento no volume de verbas sob Lula: os gastos do governo com publicidade na rede mundial de computadores saltaram de R$ 11,4 milhões em 2003 para R$ 36, 3 milhões em 2009.

As despesas com propaganda em outdoor são as mais inconstantes nas planilhas da Secom. Curiosamente, de 2003 para cá, os picos de investimento nesse tipo de mídia se deram em 2004 e 2006, anos eleitorais.

Em 2006, quando o presidente Lula concorreu à reeleição, o governo gastou R$ 19,9 milhões com publicidade em outdoors - no ano anterior, 2005, a despesa fora de R$ 7,7 milhões e no ano seguinte, 2007, de R$ 3,4 milhões.

Sete anos. Em 2004, ano em que houve eleições municipais, há outro ponto fora da curva: as despesas chegaram a R$ 21 milhões. Somados, os gastos com publicidade oficial em outdoors nos anos eleitorais de 2004, 2006 e 2008 chegam a 60% da despesa total com esse tipo de mídia ao longo dos sete anos de governo Lula.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Lula e Serra lutam contra o sono na posse de Peluso, no STF

A posse do ministro Cesar Peluso como presidente do Supremo Tribunal Federal nesta sexta-feira reuniu vários políticos em Brasília. O ex-governador de São Paulo e pré-candidato tucano José Serra e o presidente Lula em alguns momentos demonstraram sonolência e tédio, como mostram as imagens feitas por Celso Junior e Andre Duzek.





C/ Informações Estadão.

PSB quer lançar governador no ES e espera "boa vontade" do PT, diz IstoÉ

O PSB, que tem por objetivo, segundo o presidente nacional  Eduardo Campos, governador de Pernambuco, eleger uma bancada forte na Câmara e no Senado,  também prioriza a eleição dos oito candidatos a governador. Para isso, os socialistas argumentam que o caminho mais fácil é se aliar à candidata do PT ao Planalto, Dilma Rousseff.

Do PT, eles esperam apoio em Estados como Piauí, Amapá e boa vontade na formação dos palanques em São Paulo, no Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

A reivindicação foi apresentada em encontro na quarta-feira 21 entre Eduardo Campos e o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, um dos coordenadores da campanha de Dilma.

Confundiu

O tabloide europeu 20 minutes(www.20minutes.ch) publicou ontem uma página sobre o aniversàrio de Brasilia, sob o título " Brasilia, da utopia à anarquia", assinada por Cathy Macherel. Ela lembra a alta densidade demográfica e a qualidade de vida.

Mas, uma pena, o jornal publica que a bela estátua de JK em seu memorial é a de... John Kennedy, o ex-presidente americano. ( Com o Informe JB)

Diretório do PSB no Espírito Santo quer Ciro candidato, diz IstoÉ


O diretório regional do PSB no Espírito Santo é a favor da candidatura de Ciro Gomes à presidência da República segundo a revista IstoÉ deste fim de semana.

Em matéria intitulada  "A base quer Ciro, a cúpula do PSB, não"  a publicação diz que "articulados com o presidente Lula, líderes do PSB disparam o tiro de misericórdia contra a candidatura de Ciro Gomes, mas consulta feita por sua equipe mostra que a maioria dos diretórios quer o partido com candidato próprio".

Segundo IstoÉ, Ciro foi informado da decisão da cúpula socialista em reunião realizada na quinta-feira 22. “A situação da candidatura ficou insustentável, Ciro. Precisamos priorizar as eleições estaduais”, disse, em tom seco, o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

O encontro ocorreu na sede da Alcântara Cyclone Space e foi testemunhado pelo vice-presidente da legenda, Roberto Amaral. Um quadro relacionando supostos interesses políticos do PSB em cada Estado foi utilizado pelos dirigentes socialistas para convencer Ciro a desistir da empreitada.

A leitura do quadro levado pelos chefes do PSB indica que o partido não quer um candidato próprio à sucessão de Lula.O problema é que tudo pode não passar de mais uma manobra mal elaborada. Durante a semana passada, ISTOÉ fez consultas a todos os diretórios regionais do PSB (leia quadro na pág. 38) e, ao contrário do que os dirigentes nacionais do partido tentaram mostrar a Ciro, a maioria da militância apoia a candidatura.

Em 13 Estados, incluindo colégios eleitorais como São Paulo, Rio Grande do Sul e Ceará, os socialistas são favoráveis à candidatura de Ciro. Em outros nove Estados os militantes se declaram indecisos e em apenas cinco, incluindo Pernambuco do presidente socialista Eduardo Campos, a legenda se posicionou contra a candidatura.

Para não transmitir a impressão de que tomou uma decisão de cima para baixo, como faz parte da tradição do PSB, a cúpula socialista adotou um discurso para uma saída honrosa da disputa. Afirmou que vai consultar as bases na terça-feira 27, na reunião da Executiva Nacional, antes de oficializar o sacrifício de Ciro. Mas é pura encenação. Confira o levantamento da IstoÉ:

Joaquim Barbosa e Gilmar: lado a lado

Joaquim Barbosa ausentou-se do plenário do STF durante boa parte da cerimônia de posse do novo presidente, Cezar Peluso, que ocupa o lugar de Gilmar Mendes.

Com a troca de cargos, muda também a disposição das cadeiras dos ministros. A partir de agora, Joaquim se sentará ao lado de Gilmar Mendes, seu maior desafeto no STF.

Ontem, na cerimônia de despedida de Mendes da presidência, Joaquim se retirou do plenário tão logo os demais ministros começaram a elogiar a gestão de Mendes. ( Por Lauro Jardim/ Veja on line)

Peluso toma posse como novo presidente do STF


O ministro Cezar Peluso tomou posse na tarde desta sexta-feira (23) como novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) para os próximos dois anos. Considerado de perfil discreto, da linha que os magistrados falam pelos autos, Peluso já tem como primeira missão relatar o pedido de intervenção federal no Distrito Federal. Apresentado pela Procuradoria Geral da República (PGR) em 11 de fevereiro, a ação é direcionada ao presidente da corte para análise. Como Gilmar Mendes, que deixou o cargo hoje, não se posicionou, o pedido agora está nas mãos de Peluso. Na mesma cerimônia, tomou posse como vice o ministro Carlos Ayres Britto, que deixou a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ontem (22).

A solenidade conta com a presença do presidente Lula, e dos presidentes da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e diversas autoridades dos três Poderes da República, entidades de classe e políticos. Além disso, o pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra, também participa da cerimônia. Ele chegou à sede da corte sem falar com a imprensa. Outros membros da oposição, como o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), também estão presentes. A ex-ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, escolhida pelo PT como pré-candidata, não compareceu.

De perfil cauteloso, porém firme, Antonio Cezar Peluso tem 42 anos de magistratura. Primeiro ministro nomeado pelo presidente Lula, uma escolha considerada técnica, assumiu uma vaga no STF em junho de 2003. Desde então, tem defendido a Constituição com rigor, inclusive batendo de frente com o governo em alguns casos. Como relator do pedido de extradição do italiano Cesare Battisti, por exemplo, o ministro considerou ilegal o refúgio concedido ao ex-ativista político pelo governo brasileiro e apresentou um voto de 151 páginas a favor da extradição. Foi acompanhado por outros quatro ministros na extradição, mas foi vencido quando o Supremo decidiu que o presidente da República pode não seguir a decisão da corte. Também é conhecido por não ser muito receptivo a receber advogados em seu gabinete.

Coube ao decano do STF, Celso de Mello, fazer o primeiro discurso da cerimônia. Em um pronunciamento que durou aproximadamente uma hora, o ministro afirmou que foram muitas "as transformações empreendidas no último biênio". Ao ressaltar a gestão de Gilmar Mendes como presidente da corte, Mello afirmou que o ministro contribuiu para o "fortalecimento do Estado de Direito e a preservação da independência do Judiciário". Ele lembrou de casos julgados recentemente pelo Supremo, como a revogação da Lei da Imprensa, e ressaltou que os ministros atuaram de forma independente e vigorosa. "Comportamentos expansivos de certos setores do Estado que se achavam imunes foram julgados. [Fizemos] um gesto de neutralização de surtos autoritários", discursou.

Para o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a posse de Peluso representa o "tempo de renovação"da corte. Antes, segundo ele, os tribunais tinham o hábito de indicar para a presidência e a vice seus integrantes mais antigos. "Era uma praxe adotada em todos os tribunais", afirmou. "A renovação é muito bem ilustrada pela galeria dos presidentes no Salão Branco do STF", disse. Gurgel apontou que os corredores do Supremo se sucedem como "pista comum do interesse público". "As decisões dos tribunais são o último passo da Justiça. Sem as decisões, o país caminharia para a desordem. O Ministério Público e o Conselho Nacional do Ministério Público depositam imensa confiança na presidência", completou. Com Congresso em Foco.

Leia mais:

Ministro Cezar Peluso será o novo presidente do STF

Lula 'foge' da imprensa para não falar sobre Ciro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não quis falar com a imprensa ao chegar, nesta tarde, para a cerimônia de posse do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso. Questionado pelos jornalistas que o aguardavam sobre as recentes declarações do deputado Ciro Gomes (PSB-CE), Lula apenas disse: "estou mudo".

Já o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), também presente à cerimônia, ao ser questionado se a polarização da campanha às eleições presidenciais entre os candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), com a possível saída de Ciro Gomes do quadro da sucessão presidencial, seria positiva para Serra, disse: "nem ganha, nem perde". 

A solenidade de posse de Cezar Peluso na presidência do STF reúne, além de Lula, os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP); da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP); e o pré-candidato do PSDB José Serra. ( Com Agência Estado)

Copa 2014: Ministro dos Esportes ameaça excluir cidades-sede com obras atrasadas

A demora no início da obras de estádios para a Copa de 2014 pode deixar algumas cidades-sede fora do Mundial. A possibilidade foi colocada na manhã desta sexta (23) pelo ministro do Esporte, Orlando Silva.

Ele afirmou que o "plano B" do governo federal para o atraso das obras de construção dos estádios para o Mundial do Brasil é a "exclusão de cidades-sede" do torneio.

"Posso assegurar que se a cidade não cumprir o prazo de início de obras de 3 de maio, passa a ter o risco de exclusão da Copa", disse. "A decisão de fazer a Copa em 12 cidades foi do presidente Lula, para que todas as regiões do Brasil pudessem receber jogos, mas a Fifa só precisa de oito cidades, porque são oito os grupos de seleções. Então, nosso plano de contingência é eliminar cidades que não consigam cumprir os prazos."

O Brasil definiu 12 cidades como sedes da Copa do Mundo de 2014, mas algumas estão com o cronograma de obras atrasado, o que causa preocupações na Fifa e no governo federal.

O ministro fez a declaração durante o Fórum Empresarial de Comandatuba, na Bahia, onde apresenta o painel Esporte como fator de desenvolvimento econômico e social para cerca de 300 empresários e executivos do País. ( Informações portal Veja)

Líder do Governo Lula é vaiado por empresários ao elogiar aeroportos brasileiros

O deputado federal Candido Vaccarezza, líder do governo na Câmara, acabou de levar uma tremenda vaia enquanto discursava no Fórum de Líderes Empresariais em Comandatuba, na Bahia. Ao comentar a situação dos aeroportos Vaccarezza disse que não há diferenças entre os aeroportos brasileiros e os do exterior. A platéia não gostou e vaiou. Vaccarezza deveria estar pensando nos aeroportos de países como Venezuela, Cuba e Irã, muito admirados pelo governo a que serve. (Por Marcelo Onaga/ Exame)

Petrobras sobe 7 posições em ranking Forbes das maiores empresas do mundo

A Petrobras subiu da 25ª para a 18ª posição no ranking da revista "Forbes" de maiores empresas do mundo, mantendo-se como a companhia brasileira mais bem colocada na lista. A classificação contabiliza vendas anuais em dólar, lucro, ativos e valor de mercado.

Bradesco (51ª), Banco do Brasil (52ª), Vale (80ª) e Itausa (82ª) são as outras brasileiras que aparecem na lista com 100 empresas. O banco privado melhorou o desempenho registrado no ano passado, quando aparecia em 78º lugar. Já a Vale caiu nesse comparativo, pois antes estava na 74ª posição. As demais empresas não haviam sido listadas.

O banco JPMorgan lidera o ranking atual, desbancando a General Electric, que agora passou para o segundo lugar. Companhias dos Estados Unidos, aliás, ocupam as quatro primeiras posições, com o Bank of America e a gigante do petróleo ExxonMobil completando o quarteto.

A China surge em quinto, com o ICBC (Banco Industrial e Comercial da China, na sigla em inglês), o maior do país em valor de mercado.

Na lista completa da Forbes, que engloba 2.000 empresas, o Brasil ampliou o número de companhias que aparecem no ranking, subindo de 31 no ano passado para 33.

Confira as dez maiores empresas do mundo, segundo a lista da Forbes (na íntegra aqui) : 1º - JPMorgan Chase; 2º - General Electric, 3º - Bank of America; 4º ExxonMobil ; 5º ICBC; 6º - Santander;  7º - Wells Fargo;  8 º HSBC; 9º - Royal Dutch Shell e 10º - BP (British Petroleum)

Veja todas as brasileiras na lista da Forbes com 2.000 empresas:

18º - Petrobras;  51º - Bradesco; 52º - Banco do Brasil; 80º - Vale; 82º - Itausa; 235º - Eletrobrás; 78º - CSN ; 620º - Usiminas; 658º - Tele Norte Leste; 698º - JBS; 701º - Grupo Pão de Açúcar; 732º - Gerdau; 782º - Cemig; 864º - CPFL Energia; 919º - Braskem; 930º - FBovespa; 942º - Redecard; 953º - BRF (Brasil Foods); 980º - Fibria Celulose; 1.102º - Cielo; 1.190º - Ultrapar; 1.316º - Sabesp; 1.335º - Bradespar; 1.380º - CCR; 1.399º - Natura; 1.432º - Banrisul; 1.461º - OGX; 1.472º - Copel; 1.486º - Embraer; 1.648º - WEG; 1.680º - Net Serviços; 1.705º - Fosfertil; 1.813º - Sul America.

Ciro diz que Lula "está navegando na maionese" e avisa que não pedirá votos para Dilma

O deputado federal Ciro Gomes (PSB) concedeu nesta sexta-feira (23) entrevista ao portal iG sobre sua situação política e conjuntura nacional. Ele falou sobre o presidente Lula e seu desejo de ver Dilma Rousseff (PT) presidente:

“Lula está navegando na maionese. Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior: ninguém chega para ele e diz ‘Presidente, tenha calma’. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz.”

Ciro Gomes afirma que Lula tem a popularidade que merece ter, pois seu governo tem realizações. “Mas ele não é Deus”. Não poupou criticas à decisão do Palácio do Planalto de interferir no debate interno do PSB: “Tiraram de mim o direito de ser candidato. Mas quer saber? Relaxei. Eles não querem que eu seja candidato? Querem apoiar a Dilma? Que apoiem a Dilma. Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma.”

Ciro diz que vai acatar a decisão do seu partido de apoiar Dilma Rousseff, mas avisa:

"Não me peçam para ir à televisão declarar o meu voto, que eu não vou. Sei lá. Vai ver viajo, vou virar intelectual. Vou fazer outra coisa”. Ciro acredita que a eleição deste ano será marcada por baixarias, entre as quais inclui uma ação de grupos radicais abrigados no PT: “Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo. Vai ser uma m….”

E qual será seu papel na eleição deste ano? Ciro Gomes diz: “Trata-se de uma missão estratégica, que não será desempenhada por mais ninguém”.

Ciro afirma que via uma chance de ajudar num debate que, ao seu ver, é urgente:  “Em 2011 ou 2012, o Brasil vai enfrentar uma crise fiscal, uma crise cambial. Como estamos numa fase economica e aparentemente boa, a discussão fica escondida. Mas precisa ser feita.”

Sobre a candidatura de Dilma Rousseff, ele diz que ela tem menos chance de enfrentar o problema do jeito que ele precisa ser enfrentado: “Como o PT, apoiado pelo PMDB, vai conseguir enfrentar esta crise? Dilma não aguenta. Serra tem mais chances de conseguir”. (Com informações de O Povo/ Fortaleza) 

PSB decide que Ciro não vai disputar Presidência da República

O PSB deve anunciar na próxima terça-feira (27) que o deputado Ciro Gomes não será candidato a presidente da República, informa reportagem de Vera Magalhães, Fernando Rodrigues e Maria Clara Cabral  da Folha de S. Paulo hoje (23).

Até lá, o partido cumprirá um ritual para dar uma saída honrosa a Ciro: consultará os diretórios sobre uma aliança com o PT. Como a maioria dos diretórios opinará por uma aliança com o PT, caberá ao governador de Pernambuco e presidente da sigla, Eduardo Campos, anunciar a retirada de Ciro.

Ciro foi avisado ontem (22), em reunião com a cúpula partidária, de que as conversas com a campanha de Dilma Rousseff avançaram e que o PSB entregou ao PT uma lista de cinco Estados em que espera alguma contrapartida dos aliados. Foram relatados vários casos regionais em que caciques que antes manifestavam apoio à candidatura própria já estão se acertando com o PT.

Em queda nas pesquisas, o deputado se comprometeu a aceitar a decisão. No cenário sem Ciro do mais recente levantamento do Datafolha, a diferença entre José Serra e Dilma Rousseff se amplia de 10 para 12 pontos. O tucano passa de 38% a 42%, enquanto a petista oscila de 28% a 30%. Marina Silva (PV) também sobe dois pontos e chega a 12%.

Em reunião realizada ontem, a cúpula do PSB informou a Ciro que o partido está isolado politicamente e que isso dificultará sua candidatura ao Palácio do Planalto. O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, disse que a prioridade hoje é a de eleger uma bancada parlamentar maior e dar apoio aos candidatos ao governo. Durante o encontro, Ciro viu uma exposição sobre o cenário em todos os Estados, do cenário nacional e das pesquisas de intenções de votos.

"Hoje o partido tem condições de ter candidato próprio e de não ter. A questão é que vamos avaliar todos os fatores e chegar a uma decisão consensual. Não tem nenhuma chance de adiarmos nada, a decisão sai na terça-feira", disse Amaral. 

Em nota, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) diz que nunca desistirá de disputar a Presidência.

"Ciro afirma que continua candidato, que considera sua postulação importante para o PSB e para o País e que jamais desistirá de concorrer à Presidência. Se o seu partido decidir por não apresentar candidatura própria que assuma o ônus da decisão, a qual ele aceitará e respeitará como filiado", diz nota divulgada por sua assessoria. (Com informações da Folha de S. Paulo)

Sindicato dos Professores de São Paulo pode ser multado em R$ 53,2 mil por propaganda contra Serra

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, deu parecer favorável à aplicação da multa máxima, de R$ 53,2 mil, contra o Sindicato dos Professores de São Paulo (Apeoesp) e sua presidente, Maria Izabel Noronha, por propaganda eleitoral antecipada para prejudicar o pré- candidato do PSDB à Presidência da República, o ex-governador José Serra.

Em representação à Justiça Eleitoral, o DEM e o PSDB alegaram que a direção do sindicato instrumentalizou a greve da categoria para difundir propaganda tendenciosa de partidários do PT contra Serra.

Durante a greve, deflagrada em março, os dirigentes do sindicato, conforme a representação, dirigiram ofensas ao candidato tucano e defenderam, em discursos e panfletos, que a população não votasse nele para presidente. "Serra, você não será presidente da República", avisou a sindicalista em uma das manifestações mais hostis, em frente ao Palácio dos Bandeirantes. A seguir ela indagou: "Esse senhor tem competência para ser presidente do Brasil? Não. Não. Mil vezes não!"

Na defesa, a direção do sindicato alegou não saber, à época, que Serra era candidato e que as críticas foram dirigidas ao público específico, os professores, não aos eleitores em geral. Gurgel considerou que não procede. "Primeiro, porque o público alvo é grande e influente junto aos eleitores, além de estar situada no maior colégio eleitoral do País. Segundo, porque a manifestação ocorreu em frente ao palácio do governo, lugar de grande circulação de pessoas", afirmou. A presidente da Apeoesp, Maria Izabel Noronha, afirmou ontem que "está sendo vetada, perseguida, porque não é do PSDB". "Quem deu o lado eleitoral foi o governador. Eu não sou candidata." Com informações Estadão.

Site britânico traz o manuscrito de "Alice no país das maravilhas", de Lewis Carroll


Nem sempre o mais moderno ou tecnológico é o mais interessante na internet: para os fascinados pelo universo de Alice no País das Maravilhas, um livro antigo é um achado. Clique aqui e conheça o original, com textos escritos à mão e desenhos de Lewis Carroll. Tudo em inglês, claro, mas nem é preciso ler para se encantar. C/ Informações Zero Hora

Saia justa: MP entra com ação contra Uniban por caso Geisy

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo entrou com uma ação esta quinta-feira contra a Universidade Bandeirantes (Uniban) e a União e solicitou ao Ministério da Educação (MEC) que apure novamente as circunstâncias da expulsão da aluna Geisy Arruda (já revogada) e das punições aos outros alunos envolvidos no episódio do vestido rosa.

A ação está baseada em procedimento instaurado em novembro do ano passado para apurar a sindicância que resultou na expulsão da aluna do primeiro ano de turismo do campus São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

No dia 22 daquele mês, Geisy foi à faculdade com um vestido rosa, considerado curto por alguns alunos e alunas. A jovem foi hostilizada por centenas de alunos, tendo que se trancar em uma sala de aula até que a Polícia Militar (PM) a escoltasse. C/ Informações Agência Estado.

STJ decide que comportamento aventureiro eventual não gera agravamento de risco para seguro

Seguradoras não podem alegar que comportamentos aventureiros normais, como subir em pedras ou se esgueirar em trilhas difíceis, são fatores de agravamento de risco e, por esse motivo, se negar a pagar o prêmio. Esse foi o entendimento unânime da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reconheceu, contudo, que a recusa em pagar o prêmio, no caso de considerar o fato como causa excludente, não gera dano moral. O relator é o ministro Aldir Passarinho Junior.

No caso, um estagiário da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) caiu de uma torre metálica de cerca de 20 metros de altura e ficou paraplégico. Após o acidente, a vítima requereu o pagamento do prêmio da seguradora por ser beneficiária de seguro coletivo contratado pela EBCT.

A seguradora recusou o pagamento, alegando que houve agravamento do risco devido ao fato de o segurado ter galgado a torre para apreciar a vista, o que levou à ação no Judiciário.

A Justiça gaúcha deu ganho de causa ao estagiário. Considerou que o contrato de seguro é de risco, razão por que, quando a seguradora pactuou a cobertura por acidentes pessoais, assumiu a obrigação de indenizar o sinistro. Não sendo comprovada a má-fé do segurado, é devido o pagamento da cobertura securitária, entendeu a Justiça local, reconhecendo, ainda, o dever de indenizar por dano moral. “Cuidando-se de local público, sem qualquer advertência quanto à periculosidade, há de se considerar que o autor foi vítima de fatalidade”, concluiu.

Perdendo nas duas instâncias, a seguradora recorreu ao STJ. Alega que, ao subir na torre para apreciar a vista, o segurado agravou o risco, isentando a seguradora. Também afirmou não ter cometido ato ilegal e, portanto, não haveria dano moral.

Ao analisar o caso, o ministro Aldir Passarinho Junior considerou que o TJRS fundamentou adequadamente sua decisão. Para o ministro, o critério de elevação do risco seria absolutamente subjetivo. “Comportamentos aventureiros normais seriam absolutamente comuns entre crianças e adolescentes e até mesmo entre adultos”, afirmou o relator. “Descortinando-se uma bonita paisagem, quem não fez algo parecido ou não se aproximou de um penhasco ou não escalou uma rocha para chegar a uma cachoeira?”, questionou.

“Não houve má-fé do segurado e nem o ato constituía procedimento do dia a dia, um padrão, a justificar que comunicasse o agravamento do risco à seguradora”, afirmou. Por outro lado, deu razão à seguradora quanto ao dano moral, não identificando má-fé na recusa ao pagamento do seguro por parte da empresa, para quem é lícito contestar judicialmente o cumprimento do contrato. “A hipótese de negar o pagamento por entender haver uma cláusula que excluísse o seguro não representa comportamento que mereça reparação por dano moral”, concluiu. C/ STJ.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

The Economist: Marina tem princípios demais para concorrer a uma eleição no Brasil

A revista britânica The Economist traz na sua última edição um perfil da senadora Marina Silva (AC), pré-candidata do PV à Presidência, nas eleições de outubro. Na reportagem"Uma outra Silva", Marina é apontada como uma candidata com"princípios demais"para concorrer numa eleição no Brasil.

"Ocasionalmente, desponta um político que parece ter princípios demais para ser atirado em uma luta de cães eleitorais em uma democracia gigante. Marina Silva, a candidata do pequeno Partido Verde nas eleições presidenciais do Brasil em outubro, é esse tipo de candidata. O que lhe falta em termos de máquina partidária, ela tenta cobrir com força ética", destacou o texto.

A revista, observou que a disputa não será fácil, ao lembrar que a senadora registrou apenas 10% de intenções de voto em uma recente pesquisa. Mesmo assim, não considera o desempenho tão ruim, já que avalia que os eleitores brasileiros não enxergam a salvação do planeta como uma prioridade.

A reportagem ainda traça uma biografia de Marina, ao ressaltar a infância pobre e marcada por doenças no Acre, além do início na vida política ao lado do ambientalista Chico Mendes e depois na fundação do PT com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

The Economist também chama atenção para derrotas que Marina sofreu enquanto foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula e aponta qual será a principal bandeira da campanha da candidata verde no pleito.

"O tema principal da campanha da senhora Silva é a responsabilidade moral de tornar uma economia de ponta com baixo carbono como exemplo para outros países em desenvolvimento." (Com Valor on line)

O Blog: Li,  na revista The Economist essa matéria, antes da publicação pelo Valor: rica em informações sobre sua biografia  e desafios enfrentados como ministra nas questões da introdução da soja geneticamente modificada,  pavimentação da estrada BR-163, da energia nuclear. A revista lembra que Marina foi acusada de preencher o seu ministério com os "verdes" (assumiu a culpa) e colegas evangélicos (acusação que rejeita).

The Economist diz que o tema principal da campanha é alertar que o Brasil tem uma responsabilidade moral para se tornar uma economia de alta tecnologia, baixo teor de carbono como um exemplo para outros países em desenvolvimento. 

Ameaças no pré-sal

Integrantes da base aliada já vinham fazendo ameaças veladas, mas hoje o líder do governo, Cândido Vaccarezza, deu início à temporada de acusações públicas contra a oposição pela dificuldade de os projetos do pré-sal serem aprovados no Congresso.

O petista publicou um artigo em O Globo intitulado “Interesses privados no pré-sal”. Nele, nega que o regime de concessão adotado pelo governo FHC tenha sido o responsável pelo crescimento da Petrobras e sai em defesa dos projetos do pré-sal, em especial a partilha e a criação da Petro-Sal:

- Durante a elaboração dessas propostas, todos cuidados foram tomados para garantir que os frutos da exploração do petróleo contido no pré-sal retornem para a sociedade (…) Aqueles que questionam tais conquistas deveriam, sim, ser questionados sobre suas reais intenções. Não nos esqueçamos que está em questão uma atividade que gera enorme interesse de grandes grupos econômicos privados. ( Por Lauro Jardim/ Veja on line)

Vale fecha acordos sobre preços com todos os seus clientes

Depois de muita briga, a Vale concluiu a negociação para reajuste do preço do minério de ferro com todos os clientes, dentro e fora do Brasil. Mesmo as grandes siderúrgicas da Europa e da China, que acusaram a mineradora de abuso de poder econômico, aceitaram o aumento de cerca de 100% para todo minério comprado por elas desde o primeiro dia de abril. E, a partir de agora, esses preços serão revisados a cada três meses.

"O primeiro realinhamento, em 1.º de julho, já será automático", afirma José Carlos Martins, diretor executivo da Vale. As revisões trimestrais serão definidas pela média dos preços dos três meses anteriores, no mercado à vista. Mas a mineradora e seus clientes acertaram a criação de uma banda de flutuação de 5% para o preço. Se, ao final dos três meses, a cotação do minério subir ou diminuir dentro dessa banda, o preço não muda.

Segundo fontes do mercado, a Vale estaria cobrando de US$ 110 a US$ 115 por tonelada de minério de ferro, enquanto o preço no mercado à vista está na casa dos US$ 180. A próxima média, portanto, tende a ser maior. Martins não confirma os preços cobrados pela Vale, mas admite que eles poderão subir. "Vai depender da média até lá, mas os valores do mercado à vista estão sinalizando uma tendência de alta. Quando a cotação no mercado à vista baixar, nossos preços baixam junto." ( Com o Portal Exame)

Sem bola de cristal

Dois eleitores conversavam num café da Praia do Canto sobre o  comportamento tolerante do pré-candidato do PSDB ao Governo do Estado, deputado federal Luiz Paulo Vellozo Lucas, que não reage às provocações dos adversários, nem critica o governador, quando um deles comentou:

"Ele nem é tão paciente assim.  Deve estar esperando apoio de Paulo Hartung".

Ao que o outro respondeu: "É, de Paulo Hartung deve-se esperar tudo...até apoio político". E soltou uma sonora gargalhada.

Gilmar Mendes chora ao se despedir da presidência do STF

Na última sessão à frente do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira, o ministro Gilmar Mendes chorou. Ele ficou emocionado com a homenagem que foi liderada pelo decano (ministro mais antigo) Celso de Mello. Ele destacou as realizações de Mendes à frente da presidência, e foi seguida por Eros Grau. "Quero expressar minha admiração por Vossa Excelência. Não é apenas um jurista, mas um homem que tem independência e coragem suficientes para cumprir o seu dever", disse Grau.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, também falaram. "Faço coro às manifestações anteriores para registrar que Vossa Excelência dignificou essa Casa, não só pela defesa da Justiça como pela defesa dos direitos humanos", afirmou Adams, destacando, ainda, o empenho do magistrado em promover os mutirões carcerários no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Ao agradecer a homenagem, o ministro fez questão de destacar a atuação dos servidores do tribunal que, nas palavras dele, uniram-se num "grande esforço" de mobilização do Judiciário. "Os resultados são amplamente reconhecidos. Hoje, certamente, o Judiciário sai mais forte desses diversos embates", disse Mendes.

O magistrado declarou, ainda, que a sociedade brasileira vive desafios e defendeu um "esforço de modernização". "O Judiciário é um dos motores disso", afirmou, sem esquecer de mencionar o sucessor, Cezar Peluso, que toma posse nesta sexta-feira (23).

"Estou certo que o ministro Peluso vai conseguir avançar ainda mais para a consolidação do poder Judiciário como instituição de transformação. É um ente essencial para a prestação do serviço jurisdicional, que tem um significado ímpar", completou.

Segundo Mendes, pelo menos 80 milhões de processos tramitaram no Judiciário brasileiro em 2009, ou seja, um em cada três brasileiros tem uma demanda na Justiça. !"Gostaria de deixar uma palavra de agradecimento aos servidores do Supremo e do CNJ. Certamente corremos, nesse período, uma maratona em ritmo de fundista de cem metros." (Com Veja on line)

Lula avisa que governo vai construir Belo Monte mesmo sem participação de empresas privadas

O presidente Lula avisou hoje (22) que a Usina de Belo Monte, no Pará, será construída mesmo sem a participação de empresas privadas. A reação do presidente ocorre no momento em que a construtora Queiroz Galvão ameaça deixar o leilão. Lula comemorou a vitória judicial contra os adversários da construção da hidrelétrica e a realização do seu leilão. Segundo ele, a participação é livre e não há “cadeado” prendendo ninguém.

“No leilão entrou quem quis, sai quem quiser depois. Não tem cadeado algum fechando a porta. Não tem. Tem várias portas, quem quiser entrar entra, quem quiser sair, sai. Não tem nenhum problema. A única coisa que eu digo, é o seguinte: nós, enquanto Estado brasileiro, enquanto empresa pública faremos sozinhos, se for necessário fazer”, afirmou ele, depois de evento no Itamaraty.

O presidente disse que a polêmica em torno do assunto já dura três décadas. De acordo com ele, as críticas aos governos anteriores se referem ao fato de não terem feito a usina. Segundo Lula, o processo envolvendo as discussões, os debates e até embates judiciais foi o de “maior democratização possível”.

“Nós conseguimos, no maior processo de democratização possível, legalizar e fazer o leilão de Belo Monte. Tivemos que derrotar tantas quantas liminares entraram na Justiça, agora, o argumento dos contra é dizer que o preço foi barato? Eu achei fantástico. Nós fazemos leilão para quê? Para que a melhor oferta ganhasse e a melhor oferta é o preço de energia que vai chegar para o consumidor”, disse ele.

Segundo Lula, as empresas que desistiram de concorrer ficaram livres para decidir se permaneceriam na disputa. Para ele, as companhias que desistiram, fizeram uma opção. “De repente, a menor oferta ganha e as pessoas começam a dizer ‘mas foi oferecido por empresas pequenas, as grandes caíram fora’. Caíram fora porque quiseram. Disputa é disputa”, afirmou.

De acordo com o presidente, o país que quer ser a quinta economia do mundo na próxima década deve oferecer aos investidores a garantia de fornecimento de energia com capacidade de pelo menos cinco anos. “Por isso estamos fazendo [as hidrelétricas de] Santo Antônio, Jirau e Estreito e vamos logo logo anunciar o complexo Tapajós que será uma revolução no sistema de produção de energia hidrelétrica nesse país. É o projeto plataforma”, afirmou. ( Com informações da Agência Brasil)

Kaká é o 3º jogador mais rico do mundo, na lista da Forbes liderada por Beckham


O meia brasileiro Kaká, do Real Madrid, aos 28 anos, é o terceiro na lista dos jogadores mais ricos do mundo com receitas anuais de aproximadamente US$ 25 milhões segundo o ranking anual da revista americana Forbes publicada nesta quinta-feira (22).

Em primeiro lugar, no ranking, está o inglês David Beckham,  do Milan, que aos 35 anos continua sendo o jogador mais rico, com receitas anuais de cerca de US$ 40 milhões, graças a contratos publicitários que mantém com grandes empresas.

Abaixo do jogador Beckham, em segundo lugar,  aparece o meio-campo Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, escolhido como o melhor do mundo pela Fifa em 2008, que fatura US$ 30 milhões em 2009. Aos 25 anos, o português recebe do clube um pagamento de US$ 15,5 milhões para a primeira de seis temporadas em que tem contrato e também aproveita sua imagem, vinculando-a a grandes marcas, para aumentar sua fortuna.

Outro brasileiro, Ronaldinho Gaúcho, é o quarto colocado. Em seguida ,Thierry Henry, Messi, Lampard, Terry, Ibrahimovic, Gerrard e Rooney completam o "top 10" dos jogadores que arrecadam mais, uma lista que foi elaborada levando em conta os salários, benefícios e receita com publicidade dos jogadores.  (Com Agência Estado)

Lula descarta licença para fazer campanha para Dilma

Matéria dos jornalistas Leonêncio Nossa e Chrispim Marin, da Agência Estado, revela  que o presidente Lula  negou hoje ( 22), por três vezes, que avalia a possibilidade de se licenciar do cargo para ajudar na campanha da pré-candidata do PT ao Planalto, Dilma Rousseff. A uma pergunta feita após almoço oferecido ao presidente do Líbano, Michel Sleiman, no Palácio do Itamaraty, se esse seria um dos seus planos, Lula negou de forma incisiva: "não, não, não".

A suposta possibilidade de afastamento de Lula foi publicada no início do mês passado no jornal O Globo. De acordo com a publicação, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é quem assumiria interinamente o posto, pois o vice-presidente, José Alencar, e o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), também devem concorrer a cargos eletivos nessas eleições.

Lula ainda reclamou dos que disseram que o governo tem interesse eleitoral com a obra da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). "Eu ouvi um cidadão dizer que isso foi político. Quem não fez política fez o apagão", disse ele, referindo-se ao governo anterior. "As usinas de Belo Monte, Jirau e Santo Antônio são coisas que nossos adversários torcem para não dar certo."

Lula ainda citou a importância do empreendimento para a economia do País. "Um país que quer ser a quinta economia do mundo e oferecer ao investidor energia, tem que pensar cinco anos para a frente. E é por isso que estamos fazendo essa (Belo Monte), Santo Antônio, Jirau, Estreito e o Complexo do Tapajós", afirmou. ( Com informações do portal Estado)

ONG MT Contra a Pedofilia vai lançar movimento em defesa de prisão perpétua para abuso contra crianças

O presidente da ONG Mato Grosso Contra a Pedofilia, vereador Toninho do Glória (PV-VG/MT), anunciou, que esta articulando um grande movimento em MT, favorável à prisão perpétua para crimes de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Assim como defende o presidente da CPI da Pedofilia, senador Magno Malta (PR/ES).

Como o assunto envolve uma cláusula pétrea da Constituição Federal, Malta propõe que os deputados e senadores eleitos em 3 de outubro próximo sejam também parlamentares constituintes que teriam como objetivo promover mudanças na Constituição de 1988.

"Eu sei que se trata de uma cláusula pétrea [preceito constitucional que só pode ser alterado por uma Assembleia Nacional Constituinte], mas será que nós vamos ter que ficar convivendo com isso a vida inteira?", ponderou o senador Malta recentemente, durante sessão da CPI da Pedofília, da qual é presidente.

Outro parlamentar favorável à prisão perpétua para esses crimes é o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Demóstenes Torres (DEM-GO). O parlamentar, entretanto, descarta qualquer possibilidade de debate sobre o assunto neste momento por se tratar de uma cláusula que envolve direitos e garantias individuais. O presidente da ONG MT Contra a Pedofilia tem se destacado em MT como o parlamentar mais atuante no combate a pedofilia.

Capital de MT registra duas ocorrências por dia contra crianças.

Duas crianças são vítimas de violência sexual por dia em Cuiabá e Várzea Grande. Dados da Polícia Judiciária Civil mostram que os 2 primeiros meses do ano foram registrados 125 casos de agressões desta natureza contra vítimas de até 14 anos nas duas cidades.

A maioria dos agressores é reincidente e demonstra não ter controle sobre o impulso que leva a cometer os crimes sexuais, a exemplo do que revelou o pedófilo e assassino Edson Alves Delfino, 30, durante o julgamento pela morte e abuso do estudante Kaytto Guilherme do Nascimento Pinto, 10. "O impulso vem do nada. Quando pensa que não, já está acontecendo", afirmou o réu confesso ao promotor João Augusto Veras Gadelha. Ele já havia cometido estupros contra outras 2 crianças e matado uma delas.

Desde o início do mandado, Toninho do Glória divulga semanalmente estatísticas sobre a violência sexual contra crianças e adolescentes: o número de estupros aumentou 315% em 2009 em Cuiabá e Várzea Grande, de acordo com dados da Polícia Judiciária Civil. Em 2008 foram 19 casos contra 79 ocorrências no ano seguinte. Somente nos 2 primeiros meses de 2010 ocorreram 60 casos. Todas as vítimas tinham menos de 14 anos, diz Toninho do Gloria, é que apenas 5 a 10% dos casos são registrados. (Com informações da ONG MT Contra a Pedofilia)

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Procon alega risco de morte e proíbe venda do Toyota Corolla em Minas Gerais

Autoridades de Minas Gerais proibiram a venda do carro Toyota Corolla em todo o Estado, sob argumento de que alguns veículos apresentaram problemas de aceleração, com risco de morte para os usuários. A decisão partiu do promotor de Justiça da Defesa do Consumidor, Amauri Artimos da Matta, e passa a valer a partir desta quinta-feira (22).

Segundo o Procon mineiro, que baixou a proibição, problemas de aceleração contínua foram relatados em nove casos, que seriam provocados pela falta de fixação do tapete no veículo. Esse modelo da Toyota estava sob investigação do Ministério Público mineiro desde o início de março. Em três casos registrados, os veículos aceleram bruscamente sem o comando do motorista.

A Toyota afirmou que dois consumidores procuraram concessionárias da marca e nenhuma anomalia foi encontrada nos veículos. Foi constatado, porém, que a presilha que prende o tapete dos carros ao assoalho não estava no lugar, o que teria feito com que o tapete deslizasse e prendesse no acelerador, disse a montadora. De acordo com a Toyota, não houve mais problemas após o conserto. 

O modelo Corolla, carro-chefe da montadora, já foi alvo de recalls fora do Brasil. A montadora convocou os proprietários de mais de 8 milhões de veículos no mundo devido a um problema no pedal do acelerador. Em Minas, o Procon é vinculado ao Ministério Público Estadual. Com informações da Agência Folha.

Dilma com Datena, Serra com Nascimento: começa a campanha na TV

 Dilma, a pré-candidata da PT usa cada vez mais cacoetes de linguagem do seu mentor Lula. Na entrevista ao apresentador José Luiz Datena, encerrada há pouco, ela abusou dos “ou seja”, “justamente”, “veja bem”, “acontece”, “olha”, todas expressões usadas cotidianamente pelo presidente.

Mas, apesar das inúmeras referências a Lula, Dilma mostrou insegurança ao se enrolar em respostas a Datena. O apresentador, aliás, se valeu da falta de traquejo para tripudiar de algumas falas dela. Quando Dilma disse que iria reforçar as fronteiras com a Força Nacional para evitar a entrada de drogas no Brasil, Datena se referiu ao patrulhamento organizado pelo Ministério da Justiça como aquele “que não funciona”. E, no momento em que Dilma teceu loas ao “Minha Casa, Minha Vida”, Datena cutucou-a citando o programa: “ah, o que tem baixa execução”.

Já a entrevista concedida por José Serra ao SBT, também encerrada há pouco, pareceu mais uma corrida contra o relógio. Os apresentadores Carlos Nascimento e Karyn Bravo faziam (ou disparavam?) perguntas e o pré-candidato do PSDB à presidência respondia a elas sem que os dois prestassem a atenção no que o entrevistado falava.

Não houve tréplica e, em algumas questões, o candidato nem sequer formulou um pensamento a tempo. Serra deu apenas duas respostas mais elaboradas: não vê o MST como um movimento social legítimo (invasão ilegal é para ser resolvida pela Justiça) e a divisão dos recursos do royalties do pré-sal tem que manter os recursos para o Rio de Janeiro e Espírito Santo, estados atualmente produtores de petróleo e que perderiam com a proposta.

O momento de descontração da tensa entrevista ocorreu no final, quando Karyn Bravo levou todos ao riso ao perguntar como Serra fazia para ficar “assim tão magrinho”. “É mais magro pessoalmente”, ela disse. (Por Lauro Jardim / Veja on line)

Pesquisa Ibope: Ciro tem maior rejeição entre os eleitores

Pesquisa Ibope divulgada hoje pelo "Diário do Comércio" ( veja neste blog) mostra que o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) tem a maior rejeição entre os eleitores. De acordo com o levantamento, 48% dos entrevistados disseram que não votariam em Ciro "de jeito nenhum" para a Presidência da República.

A segunda maior taxa de rejeição é da pré-candidata do PV, a senadora Marina Silva, com 43%. Outros 34% disseram que não votariam na petista Dilma Rousseff de jeito nenhum. A rejeição ao tucano José Serra foi de 32%.

De acordo com a pesquisa Serra tem 36% das intenções de voto, contra 29% de Dilma. A pesquisa foi encomendado pela Associação Comercial de São Paulo, dona do "Diário do Comercio" e ouviu 2.002 pessoas de em 141 municípios entre os dias 13 e 18 deste mês. Com Folha on line.

O Blog: O destino do "patinho feio" da pesquisa Ibope, Ciro Gomes, será decidido pelo PSB no próximo dia 27. O partido não deverá investir na sua candidatura à presidência. Hoje, em entrevista ao Correio Braziliense, o presidente Lula diz que teve uma surpresa quando soube que Ciro havia transferido o título de eleitor eleitoral para São Paulo. Lula sugeriu a  transferência, mas deve ter esquecido.

Projeto de Eike ameaça a praia de Naomi Campbell, Luciano Huck, Gisele Bündchen, Felipe Massa, Schumacher e outros famosos


Um investimento de US$ 3 bilhões programado para Florianópolis por Eike Batista, o homem mais rico do  Brasil, tira o sono dos moradores de Santa Catarina e principalmente do jet set internacional, pois ameaça o point mais cobiçado do litoral brasileiro: a Praia de Jurerê, que pode estar com seus dias contados.

Jurerê Internacional fica em Floripa, mas permite a qualquer um pensar que está em outro país. Milionários e celebridades como Naomi Campbell, Luciano Huck, Gisele Bündchen, Felipe Massa, Michael Schumacher, Rubinho Barrichello, Cacá Bueno e Nelsinho Piquet são alguns dos frequentadores da praia.

A empresa OSX, do Grupo EBX do empresário, porém, ameaça o "dolce far niente" dos ricos com a implantação de um estaleiro em Tijuquinhas, Enseada de São Miguel, na Baía de Florianópolis, numa área de 155,33 hectares, equivalente a 155 campos de futebol, para construir navios-sonda e plataformas de extração de petróleo semi-submersíveis e fixas.

Na Internet, já circulam protestos contra o empreendimento, com o aviso: “Eike Batista, o animal predador, ameaça acabar com Santa Catarina”.

Para a Associação Montanha Viva, que tenta bloquear o projeto, a localização do estaleiro ao lado da Área de Proteção Ambiental (APA) de Anhatomirim e próxima a áreas urbanas da Grande Florianópolis e principalmente o norte de Florianópolis, segundo o Relatório de Impacto Ambiental, resultará em uma série de impactos negativos.

Um dos mais graves problemas, porém, seria a dragagem de um canal de mais de 12km com 160 m de largura e 9 m de profundidade que poderá causar erosão praial comprometendo a Praia da Daniela que já vem sofrendo esse problema, além da praia de Jurerê e demais praias ao norte da ilha.

Por enquanto, a briga só atrai ambientalistas locais, mas se continuar pode virar um movimento internacional. E não será surpresa se em breve as filas das danceterias derem lugar a passeatas contra Eike, com participação  até de Pierre Sarkozy, filho mais velho do presidente francês, Nicolas Sarkozy, que conheceu Jurerê no inìcio do ano, ficou apaixonado e prometeu voltar sempre no verão. ( Postado por Maura Fraga/com outros)

Diretor de "Lula, o Filho do Brasil" fará tratamento em Brasília


 De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, no jornal Folha de S. Paulo, Fábio Barreto, diretor do filme 'Lula, O Filho Do Brasil' deve passar uma temporada em Brasília.

Após um grave acidente de carro no Rio de Janeiro, que o deixou em coma desde o final de 2009, Barreto deve se submeter a tratamento com a equipe do hospital Sarah Kubitschek, o mesmo que tratou o músico Herbert Vianna. Em 2001, o líder do Paralamas do Sucesso também sofreu um grave acidente, quando o ultraleve que pilotava caiu em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. Com informações do JB on line.

FMI alerta para risco de superaquecimento no Brasil

O FMI (Fundo Monetário Internacional) citou o Brasil como exemplo de economia em que existe risco de superaquecimento e onde, se isso acontecer, as políticas de estímulo devem ser retiradas.

“No campo fiscal, a lenta recuperação nas economias avançadas pede a manutenção das medidas de estímulo em vigor até que a recuperação esteja consolidada, especialmente onde a economia está abaixo de seu potencial”, diz o relatório World Economic Outlook, divulgado nesta quarta-feira (21).

“No entanto, a retirada de políticas de estímulo precisa ser feita assim que riscos de superaquecimento doméstico (como no caso do Brasil) se tornem uma preocupação”, afirma o documento, divulgado nesta quarta-feira, em Washington. O FMI revisou para cima suas projeções de crescimento para o Brasil em 2010 e em 2011.

Segundo a última edição World Economic Outlook, o PIB (produto interno bruto) brasileiro deverá avançar 5,5% neste ano, um aumento de 0,8 ponto percentual em relação à projeção anterior, de janeiro. Para 2011, o FMI prevê crescimento de 4,1% na economia brasileira, 0,4 ponto percentual acima da projeção de janeiro.

As previsões do FMI estão um pouco abaixo das projeções do mercado brasileiro. No último relatório Focus, do Banco Central, a previsão é de crescimento de 5,8% em 2010 e 4,5% em 2011. Segundo o FMI, o crescimento brasileiro em 2010 será impulsionado principalmente por forte consumo privado e investimento.

O relatório diz que economias como a do Brasil, assim como China, Índia e Indonésia, apresentam crescimento forte, mesmo diante da fraca recuperação nas economias avançadas, atraindo fluxos de capital.

Segundo o FMI, isso se deve ao fato de que a maioria das economias emergentes e em desenvolvimento não sofreu choques mais prolongados em seus sistemas financeiros, nem grandes aumentos nas taxas de desemprego, e muitas foram capazes de implementar medidas de estímulo fiscal e monetário.

O FMI recomenda que, à medida que a recuperação ganhar ritmo, a postura da política monetária seja mais neutra. De acordo com o relatório, em um momento em que as pressões inflacionárias começam a crescer, em ritmos variados, algumas das economias com regime de metas de inflação, como o Brasil, parecem mais próximas dessa política monetária mais neutra do que outras, como Colômbia ou México.

“Caso os riscos ao crescimento se materializem, a política monetária dessas economias deve permanecer ágil em ambas as direções”, afirma o relatório. “No entanto, há também um argumento para manter as taxas de juros baixas por um período mais longo do que o justificado por considerações cíclicas domésticas, porque taxas de juros mais altas podem atrair fluxos de capital especulativo”, diz o documento.

O FMI afirma ainda que as economias emergentes enfrentam diferentes desafios no campo fiscal. “Muitas das economias emergentes da Ásia entraram na crise com níveis relativamente baixos de dívida pública”, diz o documento.

“Outras grandes economias emergentes, porém, têm menos espaço para manobras fiscais. O Brasil e a Índia já têm setor público e dívidas relativamente grandes”, diz o texto. De acordo com o FMI, nessas economias os novos esforços no setor público para promover crescimento de longo prazo e impulsionar o desenvolvimento social terão de ser feitos por meio de cortes em gastos menos produtivos. Com informações da BBC Brasil.